Obama diz que prisão de Guantánamo é 'uma bagunça'

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, defendeu sua decisão de fechar a prisão de Guantánamo, qualificando o local como "uma bagunça" e dizendo que não fará nada para ameaçar o povo norte-americano. Segundo Obama, a própria existência da prisão em território cubano compromete a segurança nacional norte-americana e serve como um posto de recrutamento para a rede da Al-Qaeda.

AE-AP, Agencia Estado

21 de maio de 2009 | 12h52

Obama argumentou, em discurso hoje, que aproximadamente 500 detentos já foram libertados pela administração George W. Bush. O presidente afirmou que manter a prisão é um revés para a "autoridade moral que é a maior moeda da América no mundo". Obama falou a uma plateia de advogados militares, em um hall do Arquivo Nacional, diante de um display da Constituição, da Carta de Direitos e da Declaração de Independência dos EUA.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamaGuantánamo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.