Obama diz que referendo sobre anexação da Crimeia à Rússia é 'ilegal'

Presidente americano afirma que decisão viola constituição ucraniana e leis internacionais

O Estado de S. Paulo,

06 de março de 2014 | 15h33

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou ser "ilegal" a convocação de um referendo pelo Parlamento da Crimeia para que a população decida se o território continuará a fazer parte da Ucrânia ou será reincorporado à Rússia.

Segundo Obama, o referendo convocado para 16 de março viola tanto a constituição ucraniana quanto as leis internacionais. Pouco antes, líderes da União Europeia (UE) emitiram nota classificando a decisão da Crimeia de "ilegal".

Em breve pronunciamento na Casa Branca, Obama disse ainda que qualquer discussão referente ao futuro da Ucrânia precisa contar com a participação do governo "legítimo" do país e pediu ao Congresso americano que vote logo um pacote de ajuda econômica a Kiev. "Toda discussão sobre o futuro da Ucrânia deve incluir o governo legítimo em Kiev."

Para o presidente americano, as fronteiras europeias não podem ser redesenhadas e os mediadores internacionais não podem ser impedidos de entrar na Ucrânia./ AP

Tudo o que sabemos sobre:
EUABarack ObamaUcrâniaCrimeia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.