Obama diz que Romney subirá impostos para a maioria

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, lançou um novo e agressivo discurso nesta quinta-feira, ao abordar a justiça fiscal em propagandas na televisão que garantiram aos eleitores que seu rival, o republicano Mitt Romney, tem propostas econômicas que significarão cortes nos impostos para os mais ricos e taxas mais altas para o resto da população. A economia permanece como a preocupação principal dos norte-americanos, porque a recuperação da recessão é muito lenta e taxa de desemprego permanece alta, ao redor dos 8,2%. Pesquisas mostram que Romney, que tem experiência como empresário, é visto como o candidato mais qualificado para liderar a recuperação econômica.

AE, Agência Estado

02 de agosto de 2012 | 15h29

Obama tenta rechaçar essa percepção e a campanha do democrata fez várias acusações de que a empresa da qual Romney foi cofundador, a Bain Capital, fechou indústrias que adquiriu e levou os empregos para o exterior. Romney também é pressionado, mesmo por outros republicanos, por ter se recusado a divulgar mais de um ano das devoluções de impostos federais que recebeu.

A propaganda de Obama cita o Escritório de Política Fiscal, uma entidade não partidária, que afirma que Romney pagou uma proporção mais baixa de impostos, em comparação a pessoas com a renda bem mais baixa que ele. "Ele paga menos, você paga mais", diz a propaganda democrata.

O estudo feito pela organização também questiona o projeto fiscal de Romney, o qual chama de "vago" e afirma que ele resultará em mais recursos para os mais ricos, enquanto os pobres e a classe média terão que pagar mais impostos.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.