Obama diz que Suu Kyi é uma inspiração para quem luta pelos direitos humanos

Comunicado emitido pela Casa Branca insta a libertação de todos os prisioneiros políticos

Efe

13 de novembro de 2010 | 14h51

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou neste sábado, 13, que a vencedora do prêmio Nobel da Paz e líder do movimento democrático birmanês, Aung San Suu Kyi, é uma "heroína" e uma "fonte de inspiração" para todos os que trabalham pelos direitos humanos em Mianmar e no mundo todo.

 

Em comunicado divulgado pela Casa Branca, Obama destaca como, apesar do longo período de isolamento e silêncio ao qual Suu Kyi foi submetida, "continuou com sua valente luta pela democracia, paz e mudança em Mianmar".

 

O presidente americano expressou satisfação por esta libertação, "que devia de ter ocorrido há muito tempo", e destacou que Suu Kyi e a oposição política que representa foram "sistematicamente silenciadas, presas e privadas da oportunidade de participar do processo político que poderia mudar Mianmar".

 

Neste contexto, Obama afirmou que "chegou a hora de o regime birmanês libertar todos os prisioneiros políticos, e não um só".

 

Os Estados Unidos "desejam que chegue o dia no qual o povo de Mianmar esteja livre do medo e da perseguição" e, seguindo o "poderoso exemplo de Aung San Suu Kyi, renovamos nosso compromisso de continuar sendo firmes defensores da liberdade e dos direitos humanos em Mianmar, e de pedir responsabilidade a quem continua com a opressão".

 

Suu Kyi, de 65 anos, viveu confinada em uma casa durante 15 dos últimos 21 anos por pedir, de forma pacífica, reformas democráticas ao regime militar que governa Mianmar desde 1962.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.