Obama e Cameron avaliam zona de exclusão na Síria

A criação de uma zona de exclusão aérea na Síria (mais informações na página ao lado) não é opção neste momento para os EUA e seus aliados. Mas essa alternativa não está descartada. A mensagem indireta foi dada ontem pelo presidente americano, Barack Obama, e pelo premiê britânico, David Cameron.

O Estado de S.Paulo

15 de março de 2012 | 03h03

Após ressaltar o fato de os militares dos EUA terem "plano para tudo", Obama disse preferir solucionar a crise síria por meio da diplomacia. Para ele, a queda do ditador sírio, Bashar Assad, é uma questão de tempo. "Quando vemos a violência pela TV, nosso instinto natural é agir", disse Obama. "Uma das coisas que aprendemos com essas crises é que é importante avaliar todas nossas ações." Cameron foi igualmente cuidadoso. "A maneira mais rápida de acabar com a violência é começar uma transição, com a saída de Assad." / D.C.M

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.