Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Obama e Hillary superam McCain na área ambiental, diz relatório

Todos os três principaispré-candidatos à eleição presidencial dos Estados Unidosdefendem medidas de proteção ao meio ambiente, mas Barack Obamae Hillary Clinton possuem um histórico mais "verde" de votaçãono Congresso do que John McCain, afirmou um grupo ambientalistana quinta-feira. McCain, senador pelo Estado do Arizona e provável candidatorepublicano para a disputa de novembro, recebeu 0 de um máximopossível de 100 em vista das questões ambientais debatidas noCongresso, no ano passado, disse a Liga dos EleitoresConservacionistas em seu placar nacional sobre o meio ambiente. Ao longo de sua carreira no Senado, o senador registrou umamarca de 24 por cento, pouco se comparada com os 73 por centode Hillary ou os 67 por cento de Obama, ambos membros doPartido Democrata. Os pré-candidatos democratas saíram-se ainda melhor em2007, período em que Hillary, senadora por Nova York, marcou 87por cento e Obama, senador por Illinois, 86 por cento, afirmouo relatório. McCain defendeu a aprovação de leis para combater asmudanças climáticas e é descrito no site de sua campanha(www.johnmccain.com) como tendo um "passado de defesa daadministração sensata" do meio ambiente. No entanto, o senador deixou de comparecer a todas as 15votações sobre questões ambientais em 2007 contadas norelatório, entre as quais uma votação sobre cancelar benefíciosfiscais de bilhões de dólares para as grandes empresaspetrolíferas, uma medida que deixou de ser aprovada por umvoto, afirmou o relatório. De outro lado, Obama e Hillary perderam quatro das 15votações importantes a respeito do meio ambiente no anopassado, e os dois votaram no projeto sobre cancelar osbenefícios fiscais. 'MOMENTO DA VIRADA' Deixar de participar de votações no Congresso é algo comumpara os políticos que fazem campanha, observaram os autores dorelatório. E o meio ambiente apenas raramente figura com um assuntodeterminante nas eleições realizadas nos EUA, mas isso estámudando, disse Gene Karpinski, presidente da liga. Apontando para o resultado das eleições legislativas de2006, Karpinski disse que os eleitores independentesdepositaram vários votos nos democratas e, "de longe, o motivomais importante foi a questão da política energética",intimamente relacionada com a política ambiental. "Clinton e Obama falam sobre as políticas de combate aoaquecimento global todos os dias", disse Karpinski em umpronunciamento. "Eles fizeram dessa questão uma prioridadeporque sabem o que é isso o que os eleitores desejam ouvir." O relatório destacou uma aparente mudança na postura doCongresso depois de os democratas terem tomado dos republicanoso comando sobre o órgão, no pleito de 2006. "O ano de 2007 pode vir a ser lembrado como o momento davirada para o meio ambiente e especialmente para os programasde energia limpa e o aquecimento global", afirmou o relatório. Após anos de "leis indiferentes" ao meio ambiente, conformeas descreveu o documento, o Congresso dos EUA aprovou, em 2007,pela primeira vez desde 1975, tornar mais rígido o padrão doscombustíveis para automóveis. Isso se deveu em parte ao projeto de lei sobre energia quecontém também padrões de eficiência no gasto de energia paraprédios e para lâmpadas.

DEBORAH ZABARENKO, REUTERS

21 de fevereiro de 2008 | 16h12

Tudo o que sabemos sobre:
EUAELEICAOAMBIENTE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.