Saul Loeb/ AFP
Saul Loeb/ AFP

Obama e Hollande concordam no aumento da cooperação para combater extremismo

Estados Unidos e França visam trabalhar em conjunto com relação aos seus serviços de segurança para enfrentar uma ‘ameaça’ extremista ‘em constante evolução’

O Estado de S. Paulo

15 Junho 2016 | 08h57

PARIS - Os presidentes americano, Barack Obama, e francês, François Hollande, concordaram na noite de terça-feira, em uma conversa telefônica, em "aumentar ainda mais a cooperação" entre seus serviços de segurança para enfrentar uma "ameaça" extremista "em constante evolução", informou a Presidência francesa.

"França e seus aliados continuarão opondo a força das democracias à barbárie", acrescentou o Palácio do Eliseu em um comunicado, destacando que a conversa ocorreu "após o massacre homofóbico de Orlando e o duplo assassinato" de um policial e sua companheira nos arredores de Paris. O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou a autoria dos dois ataques.

O primeiro deles ocorreu em uma discoteca frequentada pelo público LGBT em Orlando, onde Omar Mateen, cidadão americano de origem afegã, matou 49 pessoas e feriu outras 53 na madrugada de domingo. Esse foi o pior atentado nos Estados Unidos desde os atentados de 11 de setembro de 2001.

Dois dias depois, Larossi Abballa, um francês de 25 anos, matou a facadas um policial e sua companheira em uma região próxima a Paris. A França já foi alvo de ataques extremistas em janeiro e em novembro de 2015. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.