Obama e Jintao se reunirão em meio a divergências

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se reunirá com o presidente chinês, Hu Jintao, em Washington, em evento paralelo ao encontro da semana que vem para discutir segurança nuclear. A informação sobre o encontro dos dois líderes foi divulgada nesta terça-feira pelo governo americano.

AE, Agência Estado

06 de abril de 2010 | 16h28

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, afirmou que lideranças de 47 países comparecerão ao encontro dos dias 12 e 13 de abril, que tem como foco combater a potencial ameaça do terrorismo nuclear. Obama terá conversas bilaterais com nove líderes, entre eles Hu e a chanceler alemã, Angela Merkel. A reunião com o líder chinês ocorre em um momento de divergências bilaterais sobre uma série de assuntos, incluindo os contínuos pedidos dos EUA para que a China deixe o yuan se valorizar.

O porta-voz disse que o governo dos EUA, que na semana passada retardou a divulgação de um relatório que poderia acusar Pequim de manipular o yuan, continuará a pressionar o país asiático para que tenha uma moeda mais baseada no mercado, em encontros bilaterais e na próxima cúpula do Grupo dos 20 (G-20). Obama já falou diretamente com líderes chineses sobre seu "temor e seu desejo" por uma moeda chinesa mais forte, de acordo com as variações do mercado, segundo o porta-voz.

O funcionário confirmou também que o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, não deve comparecer ao encontro em Washington, pois estará em campanha pelas eleições gerais de 6 de maio no Reino Unido. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAChinadivergênciasreunião

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.