Michael Reynolds/Efe
Michael Reynolds/Efe

Obama e Kan discutem disputa territorial entre Japão e China

Países enfrentam crise diplomática após Japão prender capitão chinês próximo a ilhas disputadas

Efe,

23 de setembro de 2010 | 21h14

NOVA YORK- O presidente Barack Obama e o primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, se reuniram nesta quinta-feira, 23, à margem da Assembleia Geral da ONU para discutir a disputa territorial entre Pequim e Tóquio.

 

Veja também:

linkChina bloqueia exportação de minerais cruciais para Japão, diz NYT

linkChina interroga 4 japoneses por filmarem em área militar

 

Em um comunicado ao final do encontro, a Casa Branca indicou que os dois líderes abordaram "questões marítimas no Pacífico ocidental e acordaram consultar-se muito proximamente nesses assuntos".

 

Os governantes também reafirmaram seu compromisso de "fortalecer a aliança entre Japão e Estados Unidos" e conversaram sobre os últimos acontecimentos no nordeste asiático e sobre o programa nuclear do Irã e da Coreia do Norte, assim como a reconstrução do Afeganistão.

 

Obama também se reuniu hoje com o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, por cerca de duas horas. Após o encontro, o líder americano disse desejar que a disputa se resolva imediatamente, com uma solução alcançada pelos dois países.

 

As tensões entre China e Japão começaram em 7 de setembro com a captura de um barco de pesca chinês que se chocou com dois patrulheiros chineses próximo a ilhas inabitadas disputadas pelos dois países. Tóquio colocou a tripulação em liberdade, mas mantêm preso o capitão do barco.

 

Como represália, a China cancelou a exportação de alguns minerais ao Japão e ameaçou "adotar outras medidas" contra o país se o chinês não for libertado.

 

O arquipélago, chamado de Senkaku no Japão e de Diaoyu na China, fica ao norte de Taiwan e ao sul de Okinawa, e é uma área rica para a pesca, com possíveis reservas de petróleo e gás. O Japão atualmente controla as ilhas, mas ambos os países declaram ter posse do local.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaNaoto Kandisputa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.