Obama e líderes mundiais expressam apoio à Rússia após atentado

Aeroporto de Domodedovo foi alvo de ataque terrorista que matou ao menos 35 pessoas

estadão.com.br

24 de janeiro de 2011 | 15h52

WASHINGTON - Líderes de países aliados da Rússia demonstraram apoio a Moscou nesta segunda-feira, quando um aeroporto da capital Rússia foi alvo de um atentado terrorista que matou 35 pessoas.

 

Veja também:

linkAtentado em aeroporto de Moscou deixa ao menos 35 mortos

linkAeroportos da Rússia reforçam medidas de segurança após atentado

linkMedvedev adia viagem a Davos e promete 'perseguir e punir' responsáveis

mais imagens Veja imagens do atentado

 

O presidente dos EUA, Barack Obama, considerou o ataque um "ato ultrajante de terrorismo contra o povo russo" e demonstrou condolências aos russos, que, segundo o americano, sofrem muito com o terrorismo. O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, afirmou que os EUA estão dispostos a ajudar a Rússia conforme forem solicitados.

 

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Anders Fogh Rasmussen, condenou o ataque a pediu maior cooperação no combate ao terrorismo.

 

O chanceler britânico, William Hague, disse que as autoridades do Reino Unido estão "em contato urgente com as autoridades russas para estabelecer os fatos e fornecer apoio consular aos cidadãos britânicos que podem ter sido afetados" no atentado.

 

O ministro de Exteriores da Alemanha, Guido Westerwelle, também expressou sua condenação ao ataque. "Condeno esse terrível e sangrento ato nos mais fortes e possíveis termos. Nada justifica um ato de barbárie como este", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.