Obama e McCain apresentam planos diferentes para a economia

O senador John McCain, candidato republicano à presidência dos Estados unidos, mostrou-se aborrecido com os democratas que traçam paralelos entre ele o impopular presidente George W. Bush. No terceiro e último debate com seu rival democrata Barack Obama, na noite desta quarta-feira, McCain disse logo no início: "Senador Obama, eu não sou o presidente Bush. Se você queria concorrer contra o presidente Bush, deveria ter feito isso há quatro anos", disse McCain.Obama em particular, mas os democratas de uma maneira geral, têm ligado McCain às políticas de Bush. As informações são do blog do The Wall Street Journal."Eu tenho um longo histórico de reformas, de lutas no chão do Senado dos EUA", disse McCain.O debate começou com os dois candidatos apresentando seus planos econômicos para a classe média americana, atingida pela crise econômica. McCain defendeu seu plano de US$ 300 bilhões, que se eleito pretende usar para comprar hipotecas vencidas e evitar que milhões de americanos percam suas casas.Obama concordou que os mutuários falidos precisam de ajuda mas discordou do plano de McCain, ao dizer que o projeto na realidade dará dinheiro aos bancos."Nós não queremos desperdiçar o dinheiro que você pagou em impostos", disse Obama aos telespectadores. Ele disse que o pacote de US$ 700 bilhões, aprovado pelo Congresso dos EUA há dez dias, foi um "primeiro passo importante" para combater a crise e notou que ambos os candidatos apoiaram o plano, que não foi recebido com entusiasmo pelo eleitorado. Obama pediu um fim aos cortes de impostos às corporações que "enviam empregos para o exterior" e disse que oferecerá isenções de impostos para empresas que criem empregos nos EUA. Ele também disse que, se eleito, cortará impostos para famílias que ganham menos de US$ 250 mil por ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.