Obama e McCain trocam acusações sobre questão racial

As campanhas presidenciais de Barack Obama e John McCain trocaram hoje acusações mútuas de terem introduzido a questão racial no debate das eleições presidenciais americanas e se culparam pelo tom negativo que passou a impregnar a propaganda política. Os dois candidatos estiveram hoje no estado da Flórida. McCain voltou a acusar Obama de fazer política de curto alcance com a questão racial, pelo fato do candidato democrata ter prognosticado, na quarta-feira, que seu rival republicano e o atual presidente George W. Bush adotarão um discurso de intimidação para afastar dele os eleitores. O candidato democrata disse na quarta-feira que Bush e McCain diriam que ele "não se parece com os outros presidentes que estão nas notas do dólar." A campanha de Obama explicou que a referência aos presidente das notas do dólar não era racial, e sim que Obama era diferente dos outros políticos porque era relativamente desconhecido antes de ser candidato. Hoje, o assessor de Obama, David Axelrod, indicou que o tema racial só entrou no discurso após a campanha de McCain ter criticado os comentários feitos na quarta-feira pelo candidato democrata, que se chegar à Casa Branca será o primeiro presidente negro dos EUA. Axelrod rechaçou as acusações de McCain. "Barack Obama nunca chamou John McCain de racista."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.