Obama e Sharif discutem drones e segurança

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, manifestou nesta quarta-feira a expectativa em que a cooperação militar não se transforme em fonte de tensão nas relações de seu país com o Paquistão. O comentário foi feito depois de uma reunião com o primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, na Casa Branca.

AE, Agência Estado

23 de outubro de 2013 | 19h01

Em entrevista coletiva concedida depois do encontro, Sharif afirmou ter levantado com Obama a questão dos bombardeios com drones promovidos pelos EUA em território paquistanês e disse que esses ataques precisam cessar.

Obama enfatizou que "combater o terrorismo não é fácil" e disse ter discutido com Sharif meios de manter a cooperação militar sem desrespeitar a soberania do Paquistão.

Ontem, as organizações não-governamentais (ONGs) Anistia Internacional e Human Rights Watch denunciaram que o governo norte-americano violou leis internacionais ao usar aviões não tripulados, os chamados "drones", para assassinar supostos militantes islâmicos. Além disso, os ataques ditos "seletivos" no Paquistão, no Iêmen e na Somália deixaram um rastro macabro de mortes de civis que inclui crianças, mulheres e idosos.

Índia - Sharif disse também ter conversado com Obama sobre o desenvolvimento de uma relação construtiva com a vizinha e rival Índia, inclusive no que diz respeito à disputada região da Caxemira. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAPaquistãodronesObamaSharif

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.