Stephen Crowley/ NYT
Stephen Crowley/ NYT

Obama e Trump dividem o posto de homem mais admirado dos Estados Unidos

Michelle Obama também figurou na lista pela segunda vez consecutiva como a mulher mais admirada; veja os nomes dos demais ganhadores

Redação, O Estado de S. Paulo

31 de dezembro de 2019 | 01h16

WASHINGTON - O fato de Donald Trump estar sofrendo um impeachment, não o impediu de ser considerado um dos homens mais admirados pelos norte-americanos em 2019, conforme pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 30, pelo instituto Gallup. Ao seu lado na posição de honra está Barack Obama, ex-presidente dos Estados Unidos.

Esta é a primeira vez que Trump ganha tal reconhecimento - para Obama, já é a décima segunda. Sua esposa, Michelle Obama, também foi eleita pela segunda vez consecutiva como a mulher mais admirada pelo povo dos Estados Unidos. O levantamento é feito com os norte-americanos desde 1948.

Segundo a pesquisa, Obama e Trump foram os mais mencionados nos Estados Unidos em 2019, com 18% cada. O número marcou uma melhora para o atual presidente do país, que antes tinha atingido apenas 13% e 14% de popularidade nos anos de 2018 e 2017, respectivamente.

Já o cenário não mudou muito para Obama, que alcançou 19% e 17% nos níveis de popularidade de 2018 e 2017, números significativamente altos para um ex-presidente, informou o instituto Gallup. Enquanto isso, Michelle recebeu 10% das menções, número menor que os 15% de 2018.

 

Os dez mais admirados pelos norte-americanos

No grupo dos dez homens mais admirados pelos americanos, também estão o ex-presidente dos EUA Jimmy Carter, o empresário Elon Musk, o filantropo e fundador da Microsoft Bill Gates, o Papa Francisco, o senador e candidato democrata à presidência Bernie Sanders, o legislador democrata Adam Schiff, o Dalai Lama e o mega investidor Warren Buffett. No entanto, nenhum dos oito alcançou mais de 2%.

Entre as mulheres mais admiradas estão a atual primeira dama, Melania Trump (que segue no segundo lugar, abaixo de Michelle, com 5%), a estrela de TV Oprah Winfrey, a ex-candidata presidencial e ex-primeira dama Hillary Clinton e a adolescente ativista das mudanças climáticas Greta Thunberg (cada uma um com 3%).

Nas demais posições estão a Rainha Elizabeth II da Inglaterra (neste seleto grupo pela 51ª vez), a presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, a juíza progressiva da Suprema Corte de Justiça Ruth Bader Ginsburg, a senadora e candidata presidencial Elizabeth Warren, a chanceler alemã Angela Merkel e a ex-embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas (ONU) Nikki Haley.

A profunda divisão partidária nos Estados Unidos também se refletiu nesta pesquisa: 45% dos republicanos ouvidos na pesquisa escolheram Trump e 41% dos democratas escolheram Obama.

Entre as mulheres, essa questão também pode ser notada. No entanto, ela se deu de forma mais sutil: Michelle Obama foi eleita por 23% dos democratas, enquanto Melania Trump foi a mais popular entre os republicanos, com 11%./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.