Obama enviou carta secreta ao Irã sobre Estado Islâmico

Obama enviou carta secreta ao Irã sobre Estado Islâmico

Objetivo parece ser também aproximar do líder religioso iraniano para alcançar um acordo sobre o programa nuclear

O Estado de S. Paulo

06 de novembro de 2014 | 18h25

O presidente dos EUA, Barack Obama, escreveu uma carta secreta ao líder supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei, no meio do mês passado e descreveu um interesse comum na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico, de acordo com pessoas informadas sobre a correspondência.

O objetivo da carta parece ser tanto reforçar a campanha contra o Estado islâmico quanto aproximar o líder religioso do Irã para um acordo sobre o programa nuclear. Obama destacou que qualquer cooperação em relação ao Estado Islâmico depende fortemente de o Irã chegar a um acordo com potências mundiais sobre o futuro do programa nuclear de Teerã até o prazo de novembro.

A carta é pelo menos a quarta vez que Obama escreve ao mais poderoso líder político e religioso do Irã desde que tomou posse, em 2009.

O secretário de imprensa da Casa Branca, Josh Earnest, se recusou a comentar o que chamou de "correspondência privada" entre o presidente e líderes mundiais, mas reconheceu que as autoridades americanas discutiu a campanha contra o Estado islâmico com as autoridades iranianas no passado. Ele acrescentou que as negociações permanecem centradas sobre o programa nuclear do Irã e reiterou que os EUA não estão cooperando militarmente com o Irã na luta contra o Estado Islâmico.

O Irã mobilizou os próprios recursos militares para lutar contra o grupo extremista, de acordo com altos funcionários iranianos e norte-americanos. A unidade militar de elite do Irã, a Guarda Revolucionária Islâmica, enviou conselheiros militares para o Iraque para ajudar o governo do primeiro-ministro Haider Al Abadi, um aliado próximo do Irã. Eles também trabalharam com o governo do presidente sírio, Bashar Al Assad, para conduzir operações militares dentro da Síria. / Dow Jones

Mais conteúdo sobre:
EUAIrãEstado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.