Obama escolhe Joe Biden como vice

Candidato democrata opta por ter ao lado senador com larga experiência política e especializado em assuntos externos

NYT, WPOST E REUTERS, O Estadao de S.Paulo

24 de agosto de 2008 | 00h00

O candidato democrata Barack Obama escolheu para vice em sua chapa Joseph Biden Jr., senador por Delaware e considerado um dos políticos mais experientes em política externa dentro do partido. Biden, de 65 anos, cumpre o sexto mandato no Senado. O anúncio, conforme prometido, foi feito por meio de mensagens de texto e e-mails enviados na madrugada de ontem a correligionários. À tarde, Obama e Biden fizeram sua primeira aparição pública num comício em Springfield, em Illinois, onde o candidato democrata anunciou, em outubro de 2007, sua intenção de concorrer à Casa Branca.   Mais informações"Estava buscando um líder que estivesse pronto para assumir o cargo de presidente e voltei para Springfield para dizer que já encontrei esse líder", afirmou Obama. "Ele (Biden) é um especialista em política externa com o coração e os valores arraigados na classe média." Biden também desfilou elogios para seu companheiro de chapa: "Ele é um visionário pragmático que vai fazer o trabalho direito", disse. "Os novos tempos requerem mais que um bom soldado, eles exigem um líder sábio", completou, em alusão ao candidato republicano John McCain, que lutou na Guerra do Vietnã. A escolha de Obama encerrou uma busca de quase dois meses feita quase inteiramente em segredo. Ela refletiu uma opção estratégica do candidato - a de ter como vice alguém que pudesse tranqüilizar os eleitores quanto às lacunas do seu currículo, em vez de optar por alguém que lhe garantisse um Estado ou reforçasse sua mensagem pedindo mudanças. Biden é um nome de peso para contrabalançar a vulnerabilidade de Obama em duas áreas - a de experiência política e de conhecimentos de assuntos externos.Presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado, o novo candidato a vice está familiarizado com lideranças internacionais e diplomatas de vários países. Ele votou inicialmente pela autorização da guerra no Iraque - Obama foi contra desde o início -, mas tornou-se um crítico persistente das medidas do presidente George W. Bush quanto ao Iraque.O anúncio do nome do vice foi feito num momento em que Obama se aproxima de uma parte crucial da campanha, preparando-se para os quatro dias da convenção do Partido Democrata em Denver, a partir de amanhã. Ele também foi cuidadosamente planejado para coincidir com uma turnê pelos chamados "swing states", Estados onde a disputa está indefinida. Boatos a respeito da decisão de Obama começaram a correr horas depois de o candidato informar os outros dois principais concorrentes pela candidatura à vice-presidência (o senador Evan Bayh, de Indiana, e o governador da Virgínia, Tim Kaine) de que não haviam sido escolhidos. A senadora Hillary Clinton, a quem Obama derrotou na disputa pela indicação democrata, já estava fora da disputa - Obama jamais considerou realmente a possibilidade de chamá-la para ser sua parceira. "Biden é um líder experiente, devotado e robusto", elogiou ontem Hillary. Biden é um católico apostólico romano, o que lhe garante o apoio deste importante bloco de eleitores, apesar de ele favorecer o direito ao aborto. Nasceu em uma família de classe trabalhadora de Scranton, Pensilvânia. Mesmo sendo escolhido, Biden deve manter sua candidatura à reeleição no Senado. Ele é conhecido por ser loquaz, mas freqüentemente também faz declarações que o comprometem (leia quadro). Em 2007, quando fazia campanha para Obama na disputa pela candidatura democrata, ele disse que o senador "ainda não estava pronto" para a presidência. A campanha de McCain trabalhou ontem em cima disto, demonstrando o tipo de ataque que a candidatura democrata deve enfrentar. "O crítico mais duro da falta de experiência de Obama foi Joe Biden", disse Ben Porritt, porta-voz de McCain. O candidato a vice concorreu à presidência duas vezes, em 1988 e em 2008, tendo abandonado a candidatura no início em ambos os casos. Ele também foi presidente do Comitê Judiciário do Senado. Casado com Jill Tracy Jacobs, Biden tem dois filhos e uma filha. Os primeiros são fruto de seu primeiro casamento, com Nelia, que morreu num acidente de carro em 1972 junto com a terceira filha do casal. Além dessa tragédia pessoal, Biden esteve à beira da morte em 1988, quando sofreu um aneurisma cerebral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.