Obama: EUA estão mais fortes 10 anos após os ataques

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, usou seu programa de rádio, neste sábado, para dizer que o país está mais seguro do que há 10 anos, embora o ex-prefeito de Nova York Rudolph Giuliani tenha criticado a política do presidente como tendo deixado o país mais vulnerável.

NALU FERNANDES, Agência Estado

10 Setembro 2011 | 10h16

"Graças aos esforços incansáveis dos nossos militares, da nossa inteligência e profissionais de segurança nacional, não deve haver dúvidas. Hoje, a América (EUA) está mais forte e a Al-Qaeda está no caminho da derrota", disse Obama, um dia antes das homenagens às vítimas dos atentados de 11 de setembro de 2001.

Giuliani, que fez o programa semanal de rádio para o Partido Republicano, disse que os EUA demonstram o "impulso perigoso" de amarrar as forças armadas a um calendário, uma crítica à política militar do presidente Obama. "A segurança da América exige presença militar de longo prazo nas partes do mundo onde pessoas e organizações estão planejando contra nós", disse o ex-prefeito.

Obama afirmou que os EUA fizeram avanços contra a Al-Qaeda, incluindo a morte de Osama bin Laden. Obama elogiou as forças especiais que atuaram na execução deste plano pela "notável coragem e precisão". "Uma década depois de 11 de setembro está claro para todo o mundo que o grupo de terroristas que nos atacou naquela manhã de setembro não é páreo para o caráter do nosso povo, a resiliência da nossa nação ou a resistência de nossos valores". As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
EUAObamaatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.