Obama: EUA falham em manter suas crianças seguras

Um triste presidente Barack Obama disse neste domingo que "os Estados Unidos estão falhando na missão de manter suas crianças seguras", prometendo que a mudança deve vir após o massacre que matou 20 crianças na escola fundamental na cidade de Newtown, no Estado norte-americano de Connecticut. "Que escolha temos ?", disse Obama. "Será que estamos realmente preparados para dizer que somos impotentes diante de tal carnificina, que as políticas estão demasiadamente rígidas ?"

EQUIPE AE, Agência Estado

17 de dezembro de 2012 | 00h56

Em um vigília pelos mortos, em um momento de dor que se espalhou pelo mundo, Obama admitiu que nenhuma de suas palavras poderia expressar sua tristeza. Mas ele declarou à comunidade de Newtown: "Vocês não estão sozinhos."

Para Obama, ao terminar seu quarto ano de mandato, ele fez outra visita para consolar uma outra comunidade em descrença. É tarefa do presidente estar presente nesses locais, para ouvir e consolar as pessoas, para oferecer ajuda mesmo que a única coisa que ele tenha a seu alcance seja um abraço.

O massacre que matou 20 crianças e 6 adultos na Sandy Hook Elementary School, na sexta-feira, provocou horror em todo o mundo, gerando um exame de consciência nos EUA, um novo debate político sobre o controle de armas, abrindo questões sobre o motivo incompreensível que teria levado o jovem a cometer esse ato.

Obama disse ao governador de Connecticut, Dannel Malloy, que essa sexta-feira foi o dia mais difícil de sua presidência. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EUAObamamassacre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.