Susan Walsh/AP
Susan Walsh/AP

Obama: EUA vão usar força quando interesses exigirem

O presidente dos EUA, Barack Obama, defendeu a substituição do uso do poderio militar norte-americano por outros tipos de poder dos EUA, incluindo a diplomacia e a pressão econômica. A afirmação foi feita em discurso de formatura na Academia Militar dos Estados Unidos, conhecida como West Point.

AE, Agência Estado

28 Maio 2014 | 11h56

O presidente dos EUA destacou que o país está emergindo de um longo período de guerra e disse também que o isolacionismo que marcou a história norte-americana não é uma opção século 21, afirmando que os EUA vão usar a força quando "interesses centrais" exigirem.

Com a fala, Obama deu o pontapé para um novo esforço da Casa Branca para redefinir a política externa e de segurança de seu governo, depois de críticos aproveitarem sua relutância em intervir na guerra civil da Síria e em sua resposta limitada à agressividade do presidente da Rússia, Vladimir Putin, para com a crise na Ucrânia.

Obama também disse que planeja trabalhar com o Congresso dos EUA para aumentar o apoio à oposição na Síria, um dia depois de ser noticiado pelo Wall Street Journal que os EUA pretendem enviar uma missão militar à Síria para treinar rebeldes que lutam contra o regime de Bashar Assad.

O discurso na West Point ocorre também no dia seguinte ao anúncio do plano para acabar com o envolvimento militar dos EUA no Afeganistão. Fonte: Associated Press e Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
EUA Obama discurso

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.