Obama evita falar em ''genocídio'' de armênios

O presidente americano, Barack Obama, evitou ontem usar a palavra "genocídio" para referir-se à morte de 1,5 milhão de armênios por turcos otomanos em 1915. Em comunicado distribuído pela Casa Branca, Obama se refere ao evento como "uma das grandes atrocidades do século 20". Grupos armênios nos EUA se declararam "profundamente desapontados".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.