Obama fala com rei saudita sobre situação no Egito

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ressaltou a importância de uma transição política significativa e duradoura no Egito, em telefonema a um aliado, o rei Abdullah, da Arábia Saudita, segundo informaram funcionários. Em comunicado, a Casa Branca confirmou a conversa, ocorrida ontem.

AE, Agência Estado

10 de fevereiro de 2011 | 10h36

"O presidente também reafirmou o compromisso de longo prazo dos EUA para a paz e a segurança na região", diz o comunicado. O presidente egípcio, Hosni Mubarak, é pressionado há dias por protestos exigindo sua renúncia. O rei Abdullah já condenou os esforços de "intrometidos", que segundo ele querem interferir na estabilidade egípcia.

Ao lado do Egito, os sauditas são um aliado crucial dos EUA no Oriente Médio. O jornal britânico The Times afirmou hoje que a Arábia Saudita ameaçou apoiar Mubarak, caso a Casa Branca tente forçar uma mudança rápida de regime no Egito. Citando fontes não identificadas, o jornal afirma que o rei Abdullah, em conversa com Obama em 29 de janeiro, advertiu contra uma possível humilhação de Mubarak. O rei saudita teria afirmado que apoiaria o presidente egípcio se os EUA retirarem seu programa de ajuda ao país, de US$ 1,5 bilhão por ano.

A Arábia Saudita ressaltou que Mubarak deve ficar no cargo para monitorar a transição do país para a democracia, deixando a presidência com dignidade. Mubarak já prometeu que não concorrerá à reeleição em setembro, mas os manifestantes exigem sua saída imediata. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoprotestosObamaArábia Saudita

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.