Obama faz 4 exigências para apoiar ajuda de US$ 700 bi

O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, apresentou hoje quatro condições para apoiar o pacote de US$ 700 bilhões proposto pelo governo do presidente George W. Bush ao Congresso do país para resgatar as instituições financeiras. Em uma delas, Obama pediu que qualquer pacote inclua ajuda aos cidadãos norte-americanos que enfrentam a execução de hipotecas.Em coletiva, o democrata também apresentou as outras três condições: os executivos das instituições financeiras falidas precisam pagar um preço pela sua fraca liderança; os contribuintes norte-americanos precisam ser recompensados por financiar o pacote; e o governo dos EUA precisa ter uma abordagem independente da questão.Enquanto isso, o candidato republicano à Presidência dos EUA, John McCain, renovou sua insistência de que o pacote precisa garantir que "os dólares dos contribuintes não caiam direto nos bolsos dos executivos". "Qualquer seja a solução tomada, ela precisará de transparência, de prestação de contas. Precisamos deixar claro que os dólares dos contribuintes não irão direto para os bolsos dos executivos", afirmou McCain.O senador pelo Arizona fez seus comentários enquanto o dirigente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Ben Bernanke, alertava e pressionava o Congresso de que a economia do país poderá mergulhar em recessão se o pacote não for aprovado com rapidez. Enquanto os eleitores norte-americanos e os barões das finanças aguardam pelo pacote de resgate do governo, Obama e McCain se preparam para o primeiro debate presidencial, que ocorrerá na sexta-feira.AtrasosO candidato democrata afirmou que o gasto do governo federal norte-americano no pacote e um agravamento da crise financeira poderão atrasar a implementação de propostas de gastos que ele anunciou na sua disputa pela Presidência do país. Em entrevista levada ao ar hoje pela emissora NBC, Obama também disse que a tempestade no mercado financeiro poderá ter impacto sobre decisões para o sistema nacional de saúde, o sistema educacional e a política de energia. Parte das propostas de Obama poderão sofrer alterações. Com informações da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.