Obama faz campanha na Flórida e McCain no Missouri

O democrata Barack Obama iniciou hoje uma investida no disputado Estado da Flórida, impulsionado pelo apoio do ex-secretário de Estado Colin Powell. Já o rival de Obama na disputa pela presidência dos Estados Unidos, o republicano John McCain, fazia campanha para garantir o Missouri. O apoio do republicano moderado Powell a Obama é visto como uma derrota para McCain. O senador pelo Arizona buscava retratar seu rival como despreparado para atuar como comandante-em-chefe dos militares. Powell ocupou a posição de secretário de Estado durante o governo de George W. Bush.Obama disse hoje em entrevista à emissora NBC que o apoio de Powell era bem-vindo e que ele "terá um papel como um de meus assessores". Sobre um cargo formal no governo, o senador por Illinois disse que é "algo que teríamos que discutir". O democrata disse ainda que Powell seria bem recebido se quisesse participar da campanha. O ex-secretário de Estado disse antes não ter planos de fazer isso.O candidato do Partido Democrata aparece com vantagem nas pesquisas. Além disso, conseguiu um excelente desempenho na arrecadação - um recorde de US$ 150 milhões no mês passado. Obama conseguiu ainda avançar em Estados em que os democratas tinham pouca penetração, o que levou McCain a atuar na defensiva, fazendo campanha nas duas semanas finais em locais como o Missouri, tradicionalmente republicano.McCain tentou ganhar alguns votos no domingo atacando, na Fox News, o plano de impostos de Obama. "Eu acho que os planos dele são para a redistribuição da riqueza. Esse é um dos princípios do socialismo", atacou o republicano. Para McCain, isso prejudicará os pequenos negócios, que seriam forçados a fechar em meio aos aumentos de impostos. Obama nega tal problema, argumentando que apenas os mais ricos terão aumento de impostos - contribuintes com renda anual acima de US$ 250 mil.Vice Powell, além de apoiar Obama, sem deixar de demonstrar seu respeito por McCain, avaliou que a candidata à vice-presidência dos republicanos, Sarah Palin, não seria uma escolha adequada. "Eu não acho que ela está preparada para ser presidente dos Estados Unidos, o que é a função do vice-presidente", afirmou. McCain concedia entrevista no momento em que Powell anunciou seu apoio a Obama. Ele negou qualquer problema, argumentando que eles tiveram apenas uma "discordância respeitosa".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.