Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Obama faz nomeações durante recesso do Senado

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez hoje as primeiras nomeações durante o período de recesso de Páscoa do Senado. Segundo ele, os 15 postos anunciados neste sábado só não foram preenchidos antes porque o Partido Republicano utilizou táticas para obstruir o trabalho do poder executivo.

FABÍOLA GOMES, Agência Estado

27 de março de 2010 | 20h25

Os presidentes norte-americanos podem fazer nomeações durante os períodos de recesso do Congresso para nomear embaixadores, juízes e altos cargos no governo, sem depender da confirmação do Senado. Obama ainda não havia feito nenhuma nomeação durante o período de recesso. A medida foi usada centenas de vezes por seus antecessores nas últimas duas décadas. As quinze nomeações de hoje estavam paradas à espera de confirmação do Senado por quase sete meses, segundo informou a Casa Branca. Atualmente, o presidente tem 217 nomes indicados que ainda aguardam por um parecer do Senado.

Entre os indicados por Obama também estão Jeffrey Goldstein, para o Departamento do Tesouro, na secretaria de finanças domésticas; Michael Mundac, para o cargo de secretário assistente das políticas fiscais; e três pessoas para a Comissão de Oportunidades Iguais para o Trabalho. Obama lamentou que a nomeação dos dois indicados para o Departamento do Tesouro tenha demorado quase seis meses para passar pelo Senado "em um período de emergência econômica".

Os sindicatos de trabalhadores, que deram apoio crucial para aprovação do novo Plano de Saúde norte-americano, saíram fortalecidos. Isso porque Obama indicou dois legisladores favoráveis aos sindicatos para a Comissão Nacional das Relações de Trabalho, que conta com cinco membros.

"Se, no interesse de ganhar pontos políticos, os Republicanos no Senado se recusam a exercer sua responsabilidade, eu devo agir no interesse do povo americano e exercer minha autoridade para preencher estas posições neste intervalo", disse Obama em comunicado. "Eu, simplesmente, não posso permitir que partidos políticos impeçam o funcionamento básico do governo", acrescentou.

O presidente Obama observou ainda que a maioria destas indicações já foram aprovadas em comissões do Senado meses atrás, mas ainda dependem da confirmação final.

A mesma prática já foi utilizada tanto por presidentes do partido Republicano como do Democrata, que burlaram a autoridade do Senado para confirmar suas nomeações. O presidente George W. Bush fez mais 170 nomeações em seus dois mandatos e o democrata Bill Clinton fez mais de 140 nomeações. As informações são das agências internacionais.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamanomeações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.