Obama faz reunião para discutir lei da Saúde

Senadores democratas se reuniram nesta quarta-feira com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para discutir sobre o lançamento da nova lei de saúde federal, revelando o mais recente sinal de que os democratas estão preocupados que os problemas com a lei sejam considerados na disputa eleitoral do próximo ano.

AE, Agência Estado

07 de novembro de 2013 | 02h57

Dos 15 senadores democratas que estarão disputando a eleição de 2014, 14 compareceram a Casa Branca, incluindo os senadores Mark Pryor e Mary Landrieu. Também estava presente na reunião o senador Michael Bennet, presidente do Comitê da Campanha Democrata ao Senado, que está desempenhando um papel fundamental para garantir que os democratas mantenham o controle do Senado no próximo ano.

Em um comunicado, o senador Mark Begich afirmou que disse a Obama que os seus eleitores estavam cada vez mais frustrados com "o site impraticável, as falhas técnicas e as informações imprecisas" do programa de saúde norte-americano. O senador Mark Udall afirmou que pressionou Obama para estender o período de inscrição e garantir a segurança das informações do consumidor.

Um funcionário da Casa Branca disse que Obama questionou sobre como a implementação da lei estava afetando os seus eleitores. O presidente norte-americano também falou sobre os "esforços" para corrigir os problemas técnicos e garantir que os norte-americanos sejam capazes de se inscrever no seguro.

A reunião ocorreu um dia depois que o republicano Chris Christie venceu a corrida eleitoral para o governo de Nova Jersey. Além disso, a vitória apertada do democrata Terry McAuliffe sobre o republicano Ken Cuccinelli para comandar o governo da Virginia também preocupam o partido do presidente.

Segundo um levantamento da CNN, mais de um terço dos eleitores em cada um dos estados que esteve eleição na terça-feira se posicionou contra a lei de saúde. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
euaobamaleisaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.