Obama faz sua primeira visita surpresa ao Afeganistão

O helicóptero do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, tocou o solo de Cabul, no Afeganistão, pouco depois das 8 horas da manhã no horário local. A chegada ao palácio presidencial foi o início de uma viagem que não havia sido anunciada.

Agência Estado

28 de março de 2010 | 14h19

Esta é a primeira visita do presidente americano ao Afeganistão e ocorre quatro meses depois de ele ter anunciado um aumento no tamanho das tropas dos Estados Unidos no local. A viagem demonstra o apoio ao presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, mas ao mesmo tempo sinaliza que a ajuda não chegará sem determinadas condições.

Obama chegou ao Afeganistão a bordo do Força Aérea Um, na Base Aérea de Bagram, depois de uma viagem de 12 horas e 46 minutos, durante a noite, partindo da Base de Força Aérea de Andrews. Ele foi recebido pelo general Stanley McChrystal e pelo embaixador americano Karl Eichenberry. Assim que chegou, pegou o helicóptero para um voo de 15 minutos até Cabul. Os jornalistas foram avisados pouco depois que o Força Aérea Um pousou no Afeganistão, pelas mais importantes autoridades nacionais de segurança da administração Obama, James Jones e Doug Lute.

Jones comentou que o presidente vai se "engajar" com o presidente Karzai em uma série de avaliações para ver se o país está atendendo às preocupações dos Estados Unidos, inclusive problemas relacionados à corrupção no governo afegão e à necessidade de combater traficantes de drogas, que ajudam a financiar insurgentes.

Os Estados Unidos expressaram insatisfação com o ritmo da evolução dos temas que consideram mais importantes. Obama deve reiterar suas preocupações e deixar claro que o governo afegão precisar ganhar credibilidade junto à população local para que a estabilidade chegue ao país.

Nesta viagem, Obama também parece querer mostrar que o fato de ter conseguido aprovar a reforma da saúde (o que o fortaleceu politicamente) não o afasta de outros temas domésticos e internacionais relevantes para os Estados Unidos.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaAfeganistãovisita

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.