Obama homenageia vítimas do 11 de Setembro em três memoriais

Cerimônias ocorreram em Nova York, Washington e Shanksville; Bush também participou

Agência Estado

11 Setembro 2011 | 20h16

ESPECIAL: Dez Anos do 11 de Setembro

Robert Peraza homenageia filho morto durante os ataques às Torres Gêmeas

 

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Barack Obama, compareceu a três memoriais neste domingo, 11, para homenagear as vítimas dos ataques de 11 de setembro de 2001, quando sequestradores suicidas jogaram aviões contra as Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova York, e o Pentágono, na Virgínia, e provocaram a queda de uma aeronave na Pensilvânia.

 

Veja também:

blog GUSTAVO CHACRA: Relato diretamente do Marco Zero

mais imagens GALERIA: Imagens das homenagens do domingo
documento ESPECIAL: Dez anos do 11 de Setembro
som ESTADÃO ESPN: Série especial
especial ESPECIAL: Do 11/09 à morte de Bin Laden: onde você estava?

 

No Marco Zero - local onde ficavam as Torres Gêmeas de Nova York - Obama tocou os nomes inscritos em bronze, todos de vítimas dos ataques. Na Pensilvânia, ele caminhou ao longo de um outro memorial, feito de paredes de mármore com os nomes de 40 passageiros e tripulantes de um avião que caiu em Shanksville enquanto as vítimas tentavam sem sucesso retomar das mãos dos sequestradores o controle da aeronave.

 

No Pentágono, Obama levou uma coroa de flores a um memorial que faz homenagem às 184 pessoas mortas ali há dez anos. O presidente dos EUA não fez discursos, simplesmente compareceu aos três locais para lembrar das quase 3 mil vidas perdidas durante os ataques. Na cerimônia do Marco Zero, em Nova York, ele leu o salmo 46. "Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro presente na angústia. Por isso, não temeremos."

 

O presidente e sua esposa, Michelle, caminharam juntos com o ex-presidente dos EUA, George W. Bush, e sua esposa, Laura, até o North Memorial Pool. Todos tocaram os nomes e baixaram as cabeças, para depois cumprimentar as famílias das pessoas que morreram nos incidentes com as torres gêmeas.

 

Foi a primeira vez que Bush e Obama se encontraram desde janeiro de 2010, quando apareceram juntos no Jardim das Rosas, da Casa Branca, pouco depois do terremoto no Haiti. Hoje, ambos estavam protegidos por vidros blindados durante a cerimônia, um indício de que a vigilância era forte.

 

Em Shanksville, a visita do presidente atraiu aplausos espontâneos dos presentes ao memorial. Obama e sua esposa permaneceram no local para tirar fotos com os visitantes e cumprimentar crianças. Em determinado momento, um homem gritou: "Obrigado por pegar Bin Laden". Eles então caminharam até uma pedra que marca o local onde o avião caiu e permaneceram quietos por algum tempo.

 

"Acho simplesmente importante que o presidente demonstre apoio às famílias que perderam entes queridos", disse Jaleel Dyson, de 18 anos, que faz faculdade na região e compareceu ao memorial para homenagear as vítimas.

 

No Pentágono, o casal Obama também se misturou com aqueles que visitaram o memorial, alguns deles vestindo camisetas com fotos das vítimas. O presidente norte-americano, que era senador pelo Estado de Illinois na ocasião dos ataques, disse em entrevista à NBC News que "dez anos depois, eu diria que a América passou por isso de uma forma condizente com nosso caráter. Cometemos erros. Algumas coisas não aconteceram tão rápido quanto era necessário. Mas no geral, lutamos com a Al-Qaeda, preservamos nossos valores, nossa natureza". As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.