Obama indica especialista em mudanças climáticas para o gabinete

John Holdren, da Universidade de Harvard, defende maior ação do governo na área.

Da BBC Brasil, BBC

20 de dezembro de 2008 | 16h18

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, nomeou neste sábado um especialista em mudanças climáticas para comandar o escritório encarregado de formular políticas sobre ciência e tecnologia em seu governo.John Holdren, físico da Universidade de Harvard, foi conselheiro de ciências durante a gestão do presidente Bill Clinton (1993-2001) e é conhecido por pregar um papel mais efetivo do governo na área ambiental."Um físico renomado por seu trabalho com clima e energia, ele recebeu vários prêmios e homenagens por suas contribuições e tem sido uma dos mais engajadas e persistentes vozes de nossa era na questão da ameaça representada pelo aquecimento global", disse Obama."Hoje, mais do que nunca, a ciência é a chave para nossa sobrevivência planetária e nossa segurança e prosperidade como nação. É hora de, mais uma vez, colocar a ciência no alto de nossas prioridades." Além de Holdren, Obama nomeou também neste sábado a bióloga marinha Jane Lubchenko, outra especialista em aquecimento global, para comandar a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional - um importante instituto de pesquisas.Lobby "verde"Segundo o analista da BBC Greg Morsbach, o lobby "verde" nos Estados Unidos até agora vinha tendo reações adversas às indicações de Obama para seu gabinete. Depois de escolher Stephen Chu para a pasta da energia, o que agradou os ambientalistas, o presidente eleito indicou para o cargo de Secretário do Interior o senador Ken Salazar, que apóia a ampliação da exploração de petróleo em plataformas oceânicas e não defendeu publicamente o uso de carros menos poluentes. Morsbach disse que, com a indicação de Holdren, Obama está tentando deixar claro que, como um todo, pretende que seu governo seja muito mais "verde" que o do seu antecessor, George W. Bush.Nos seus anos na Casa Branca, Bush foi criticado por não levar as mudanças ambientais a sério e se negou a assinar o Protocolo de Kyoto - que prevê a redução das emissões de gases do efeito estufa -, alegando que isso iria prejudicar a economia americana. O analista da BBC disse que, em seu governo, Obama terá o desafio de reerguer a economia, afetada pela crise financeira, e ao mesmo tempo cumprir sua promessa de campanha de cortar as emissões de poluentes americanas em 80% até o ano 2050, em relação aos níveis de 1990.A solução defendida por Obama tem sido incentivar o uso de combustíveis alternativos e o uso de carros menos poluentes. Entretanto, com a queda do preço do petróleo nos últimos meses, os americanos podem não ver muita vantagem em mudar seus hábitos, disse Morsbach.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.