AFP/US AIR FORCE/CAPT. RAYMOND GEOFFROY
AFP/US AIR FORCE/CAPT. RAYMOND GEOFFROY

Obama indicará primeira mulher como líder de comando de combate dos EUA

Chefe do Pentágono explicou que presidente aprovou sua recomendação de designar a general Lori Robinson, que atualmente lidera as Forças Aéreas no Comando do Pacífico como chefe do Comando Norte

O Estado de S. Paulo

18 de março de 2016 | 15h52

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, nomeará pela primeira vez uma mulher como líder de um dos seis comandos das forças regionais de combate, informou nesta sexta-feira, 18, o secretário de Defesa, Ashton Carter.

Em um café da manhã no jornal Político, Carter explicou que Obama aprovou sua recomendação de designar a general Lori Robinson, que atualmente lidera as Forças Aéreas no Comando do Pacífico como chefe do Comando Norte, o comando militar americano na região americana, que inclui o México. "Isto demonstra que temos muitas mulheres oficiais excepcionalmente fortes. E Lori certamente entra nesta categoria", explicou o líder do Pentágono.

Se o Senado confirmar a indicação, Lori substituirá o almirante Bill Gortney, que ocupa o posto desde 2014, e responderá diretamente ao secretário de Defesa.

A decisão de nomear pela primeira vez uma mulher como líder de uma força de combate regional foi anunciada uma semana depois de Carter aprovar formalmente os planos dos diferentes serviços militares e do Comando de Operações Especiais para que as mulheres possam integrar todas as posições do Exército.

O Pentágono informou no início de dezembro que abriria todas as posições de combate às mulheres capazes de cumprir os duros requisitos de entrada, até mesmo nos corpos de elite, como no Navy Seal (da Marinha) e nas Forças Especiais do Exército.

Desde 2013, 110 mil postos de combate anteriormente fechados às mulheres foram abertos à qualquer gênero, mas ainda existiam 200 mil que eram monopólio de homens, entre eles os das forças especiais. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.