Susan Walsh/AFP
Susan Walsh/AFP

Obama ironiza Trump e aliados em tradicional jantar para jornalistas

Obama brincou também com sua vida depois da presidência, dizendo que ele será o 'comandante do sofá' e disse acreditar que 'ela' estará no palco fazendo o próximo discurso, em alusão à Hillary Clinton

O Estado de S. Paulo

01 Maio 2016 | 10h07

WASHINGTON - Em sua última participação no tradicional jantar para jornalistas que cobrem a Casa Branca, o presidente dos EUA, Barack Obama, usou seu bom humor e fez piadas sobre seus adversários e aliados, criticando a inexperiência de Donald Trump. Obama brincou também com sua vida depois da presidência, dizendo que ele deixará de ser o "comandante chefe" para ser o "comandante do sofá".

Obama fez uma série de piadas sobre Trump, o principal pré-candidato republicano à Casa Branca, que se recusou a participar do jantar que aconteceu na noite de sábado, 30. "Você tem uma sala cheia de jornalistas, celebridades, câmeras, e ele diz que não vai participar?", disse Obama. "Será que este jantar é tão brega para Donald?", questionou o presidente dos EUA.

Cerca de 3 mil convidados participaram do evento que ocorreu no grande salão do Hotel Hilton para homenagear a Associação de Correspondentes da Casa Branca, com o intuito de aproximar os jornalistas que cobrem o presidente e os funcionários da Administração dos EUA.

Obama aproveitou também para destacar ironicamente a inexperiência em política internacional do bilionário de Nova York, afirmando que ele "passou anos se reunindo com líderes de todo o mundo: Miss Suécia, Miss Argentina", disse Obama, sobre o concurso Miss Universo administrado por Trump.

Em relação à imprensa, o presidente dos EUA criticou os meios de comunicação descrevendo como um "foco excessivo" sobre Trump.

Em seu discurso, Obama foi mais suave ao falar dos pré-candidatos do Partido Democrata. Entre os presentes, estavam o senador Bernie Sanders, pré-candidato presidencial democrata, e sua rival, Hillary Clinton. Obama parabenizou Sanders por sua atuação e o descreveu como a "nova cara brilhante do Partido Democrata".

Quanto a Hillary, Obama brincou com a dificuldade da pré-candidata em se conectar com os eleitores mais jovens. Em alusão ao fato de acreditar que Hillary será a próxima presidente a subir naquele palco, Obama afirmou que "no próximo ano outra pessoa estará neste lugar, e é difícil saber quem será ela". 

"E eu, passarei de comandante chefe a comandante do sofá", acrescentou, provocando risos de toda a plateia. / AP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.