Jose Luis Magana/AP
Jose Luis Magana/AP

Obama justificará ao Congresso ação militar na Líbia

Republicanos questionam duração da operação da Otan; limite de 90 dias se aproxima

AE, Agência Estado

15 de junho de 2011 | 15h21

WASHINGTON - A Casa Branca enviará nesta quarta-feira, 15, um dossiê de mais de 30 páginas ao Congresso dos Estados Unidos para justificar a ação militar norte-americana contra o líder da Líbia, Muamar Kadafi.

 

O esforço busca responder às preocupações em torno da legalidade e da relevância para a segurança nacional do envolvimento dos EUA nesse conflito. O porta-voz da Casa Branca Jay Carney disse que o relatório incluirá uma análise legal justificando a missão e deve responder às preocupações dos congressistas.

 

Ele notou que a Casa Branca acredita que seguirá tendo o apoio do Congresso nesse tema. A atuação militar dos EUA na Líbia se aproxima dos 90 dias, um limite pelo qual uma resolução prevê que o Executivo deve buscar aprovação no Legislativo para qualquer operação militar.

 

O presidente da Câmara dos Representantes, o republicano John Boehner, advertiu ontem que o presidente Barack Obama estava perto de violar a resolução. Carney disse que a missão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) ajudou a evitar um massacre de civis e enfraqueceu partidários de Kadafi.

 

Segundo o porta-voz, é importante que o Congresso continue a apoiar a investida militar, porque ela tem sido bem-sucedida. "Agora não é a hora de enviar mensagens dúbias", avaliou Carney.

 

Membros do Congresso pressionam Obama a buscar sua aprovação para o envio desses recursos. Hoje, vários deputados abriram um processo contra Obama em um tribunal federal, dizendo que a atuação na Líbia é inconstitucional e deve acabar. Carney disse que a Casa Branca estava informada sobre o caso.

 

Obama enviou forças militares norte-americanas para a região em março. A operação liderada pela Otan é amparada por uma resolução do Conselho de Segurança da ONU pela proteção da vida de civis.

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaLíbiaEUAação militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.