Obama lamenta morte do 'maior senador dos EUA'

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, lamentou hoje a morte do senador democrata pelo Estado de Massachusetts Edward Kennedy. Obama qualificou o parlamentar como "o maior senador dos Estados Unidos em nosso tempo", agradecendo por seus "sábios conselhos no Senado". O presidente norte-americano acrescentou ainda que, como líder do país, se beneficiou do "apoio e sabedoria" de Ted Kennedy, inclusive durante a luta do político contra um câncer no cérebro.

AE-AP, Agencia Estado

26 de agosto de 2009 | 08h54

Com uma carreira de quase meio século no Senado, Ted Kennedy foi uma voz dominante nas discussões sobre saúde pública, direitos civis, guerra e paz, entre outros assuntos. Mas para o público dos EUA ele ficou mais conhecido como o último sobrevivente de uma família de políticos progressistas. Ted Kennedy se elegeu senador em 1962, quando seu irmão, John, ocupava a presidência dos EUA. Ele foi o terceiro a ocupar por mais tempo uma cadeira no Senado. Ao longo de décadas, Kennedy colocou seu carimbo sobre inúmeros projetos importantes de legislação social a passar pelo Congresso.

Apesar de ser conhecido como um "Leão Liberal", colegas dos dois principais partidos dos EUA elogiaram Kennedy e lamentaram sua morte, aos 77 anos. O governador da Califórnia, o republicano Arnold Schwarzenegger, qualificou a perda como algo pessoal para ele. A esposa de Schwarzenegger, Maria Shriver, é sobrinha de Kennedy. O líder do Partido Democrata no Senado, Harry Reid, classificou Kennedy como "o patriarca" do partido. "O rugir do Leão Liberal pode ter se calado, mas seu sonho nunca morrerá."

Tudo o que sabemos sobre:
EUAEdward KennedyTed Kennedymorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.