Obama lamenta ter ido jogar golfe após decapitação

O presidente dos EUA, Barack Obama, admitiu que sua imagem pode ter sido afetada pelo fato de ter ido jogar golfe logo depois de emitir um comunicado sobre a decapitação do jornalista James Foley por militantes do Estado Islâmico, durante suas férias no mês passado na ilha de Martha''s Vineyard, em Massachusetts.

AE-DOW JONES, Estadão Conteúdo

07 de setembro de 2014 | 15h34

"Eu deveria ter antecipado a ótica. É parte do trabalho", disse Obama durante entrevista ao programa "Meet the Press", da rede de televisão NBC. O presidente acrescentou que não se sente sempre confortável com a necessidade de administrar constantemente a percepção que o público tem dele. "Parte do trabalho é também o teatro. Não é sempre algo que seja natural para mim, e estou ciente disso", afirmou.

Obama deu a entender que um presidente não tem como aproveitar férias com a família da mesma maneira como outros norte-americanos, porque chefes de governo estão sempre sendo examinados pela imprensa e pelo público. "A possibilidade de um contraste gritante, tendo em vista as notícias mundiais, sempre... Sempre haverá alguma notícia ruim em algum lugar."

O presidente deixou claro que deveria ter esperado por críticas, tendo em vista a tristeza manifestada pela família de Foley. "Foi difícil para mim conter as lágrimas ao ver a dor que eles estavam experimentando", acrescentou. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Obamaentrevistadecapitação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.