Obama lança novo código de ética{

Presidente congela altos salários da Casa Branca e limita ação de lobistas

AP, O Estadao de S.Paulo

22 de janeiro de 2009 | 00h00

Em seu primeiro pronunciamento após a cerimônia de posse como presidente dos EUA, Barack Obama anunciou ontem as primeiras medidas administrativas de seu governo: o congelamento dos salários dos funcionários da Casa Branca que ganham mais de US$ 100 mil por ano e novas restrições à atuação de lobistas em Washington. "Queremos que os americanos saibam que este governo é um governo honesto e transparente. O governo precisa dar exemplo", disse. "Quero ter certeza que estaremos de acordo com os interesses da população. A responsabilidade do nosso governo é essa."Segundo o presidente, as medidas marcam o começo de uma nova era de transparência nos EUA. Para isso, ele anunciou ainda um "novo código de ética" para os membros do governo, que atingem principalmente os lobistas. Entre as medidas, o presidente proibiu todos os que trabalharam em grupos de pressão de terem funções públicas nas áreas em que antes atuavam. "Quem fizer parte do meu governo não poderá trabalhar em setores nos quais anteriormente tenha feito lobby ou nos órgãos nos quais fizeram lobby nos dois anos anteriores", afirmou. "Quando deixarem o governo também não poderão fazer lobby na Casa Branca enquanto eu for presidente. Será também proibido receber presentes oferecidos por lobistas."De acordo com Obama, todos os funcionários do governo terão de se comprometer por escrito com os novos procedimentos éticos estabelecidos por ele. O presidente prometeu ainda um acesso maior a documentos confidenciais, que foram mantidos em sigilo pela presidência de George W. Bush sob a desculpa de serem temas de segurança nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.