Obama: líder polonês era um estadista admirado nos EUA

Obama: líder polonês era um estadista admirado nos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ligou hoje para o primeiro-ministro polonês, Donald Tusk, para transmitir suas mais profundas condolências pela morte do presidente do país, Lech Kaczynski, em um acidente no oeste da Rússia, quando o avião em que viajava caiu com sua comitiva.

AE-AP, Agência Estado

10 de abril de 2010 | 17h14

Na conversa com Tusk, o presidente americano disse que a tragédia foi uma perda devastadora para ambos os países e o mundo. Em nota divulgada à imprensa, Obama disse que o presidente polonês Lech Kaczynski era um estadista muito admirado nos Estados Unidos como um líder dedicado a avançar na liberdade e dignidade humana.

"Nossos pensamentos e orações estão com a família Kaczynski, as pessoas queridas que foram mortas neste trágico acidente de avião e à nação polonesa", disse Obama. Ele descreveu os líderes civis e militares da Polônia que morreram com Kaczynski como aqueles que ajudaram a moldar a "transformação democrática" do país. Obama também saudou Kaczynski pelo seu importante papel no movimento Solidariedade, que conquistou reformas econômicas e eleições livres no país.

Tudo o que sabemos sobre:
Polôniaacidentepresidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.