Obama liga McCain à dependência do país ao petróleo

O candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, apelou aos eleitores americanos, atingidos pelos altos preços da gasolina, apresentando o seu rival republicano John McCain como um político íntimo das altas esferas de Washington, que em parte seria responsável pela dependência americana do petróleo estrangeiro. Em discurso em Ohio, o candidato presidencial democrata disse que concorda com o recente comentário de McCain, que a dependência "foi engendrada durante 30 anos e foi causada pelo fracasso dos políticos de Washington em pensarem a longo prazo." Obama notou que McCain esteve em Washington nos últimos 26 anos. Durante esse tempo, disse o democrata, "ele fez pouco para ajud ar a reduzir nossa dependência do petróleo estrangeiro," e "fez parte daquele fracasso" para enfrentar a crise de energia. Os americanos têm parecido ser mais receptivos a algumas das propostas de McCain para solucionar o problema. Entre suas propostas está a reabertura da exploração ''offshore'' (em áreas costeiras) de petróleo no país. Ele também defende mais investimentos em energia nuclear e disse que dará um prêmio de US$ 300 milhões ao inventor de uma bateria que seja capaz de fornecer energia suficiente para abastecer um automóvel.Já Obama defende um aumento de investimentos em energias renováveis e alternativas, que em parte seria financiado por taxas aos lucros excedentes das petrolíferas. Ele também defende o cerco a brechas fiscais usadas por especuladores para subir os preços da energia. Obama disse hoje que McCain é de "parte do problema" do alto preço do gás, em uma propaganda eleitoral na televisão. O comercial foi uma resposta a outra propaganda dos republicanos, que acusa Obama de não oferecer soluções para resolver os problemas do alto preço do gás e do aquecimento global.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.