Obama mostra ceticismo com trégua entre Rússia e Ucrânia

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta quarta-feira que é muito cedo para dizer o que um cessar-fogo entre russos e ucranianos significa. A trégua foi divulgada há pouco por Kiev, contudo Moscou ressaltou que os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Ucrânia, Petro Poroshenko, apenas discutiram medidas que levariam a um cessar-fogo duradouro no leste ucraniano. De acordo com o Kremlin, Putin não poderia ter fechado um acordo do gênero porque Moscou não faz parte do conflito

AE, Estadão Conteúdo

03 de setembro de 2014 | 07h37

Obama está em viagem na Estônia onde busca tranquilizar a região que está preocupada com uma possível agressão da Rússia. O presidente norte-americano disse que o Kremlin não conseguiu fazer valer acordos de cessar-fogo previamente anunciados. A Rússia provou no passado que não falava sério sobre a busca de uma solução, ou Moscou fingiu que não está controlando os separatistas pró-russos, disse.

Obama acrescentou, no entanto, que sua preferência é ver uma Rússia forte, produtiva e cooperativa. "Há uma oportunidade aqui", disse Obama. "Vamos ver se há acompanhamento".

Obama disse que nenhum acordo poderá ser alcançado na Ucrânia se a Rússia continuar a enviar tanques através da fronteira e se mantiver a assistência aos separatistas. Em uma coletiva de imprensa conjunta com Obama, o presidente estoniano, Toomas Hendrik Ilves, falou com otimismo sobre o cessar-fogo, ao alegar: "Eu só espero que ele funcione". Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
EUAUcrâniaRússiaCessar-Fogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.