Obama não incluirá em seu programa iniciativas para restringir venda de armas

O presidente dos EUA, Barack Obama (foto), prometeu tentar "um consenso" político a respeito de propostas para reduzir a violência armada no país. Apesar de o tema ter entrado na campanha após o massacre de 12 pessoas no Estado do Colorado, na semana passada, Obama garantiu que não incluirá em seu programa de governo nenhuma iniciativa sobre controle de armas. O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, disse que o presidente, no entanto, continua a favor da proibição da venda de armas de assalto, em vigor desde 2004. Harry Reid, líder dos democratas no Senado, também disse que o tema não será abordado pelo Congresso este ano. "Não teremos tempo", afirmou o senador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.