Obama não sinaliza retirada de tropas do Afeganistão

O presidente Barack Obama reuniu hoje sua equipe de segurança nacional para discutir a estratégia no Afeganistão. Obama sinalizou, porém, que uma retirada de tropas não está sob análise no momento.

AE-AP, Agencia Estado

07 de outubro de 2009 | 21h08

A invasão ao Afeganistão ocorreu após os atentados de 11 de setembro de 2001. No entanto, a duração e o custo da guerra (morte de quase 800 norte-americanos e gastos muito altos) preocupa os EUA.

O apoio público à guerra está em 40%, comparado com 44% em julho, segundo uma pesquisa da Associated Press-GfK divulgada hoje. Entre os republicanos, 69% defendem o envio de mais tropas, enquanto 57% dos democratas se opõem a isso.

Obama avalia se envia ou não mais tropas ao país. O comandante dos militares dos EUA no Afeganistão, general Stanley McChrystal, defende o envio de mais soldados. O presidente enfrenta pressões no Congresso e entre a população sobre sua estratégia para derrotar os insurgentes e estabilizar o país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.