Obama nega que EUA estejam em guerra contra o Islã

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse hoje em Ancara que seu país não está em guerra com o Islã. Discursando durante visita à Turquia, Obama admitiu que as relações entre os EUA e o mundo islâmico ficaram abaladas depois dos atentados de 11 de setembro de 2001, mas buscou um tom conciliador.

AE-AP, Agencia Estado

06 de abril de 2009 | 10h02

"Deixe-me dizer da forma mais clara possível: os Estados Unidos não estão em guerra com o Islã", declarou o presidente americano. Obama defendeu ainda que uma parceria entre os EUA e o mundo islâmico seria essencial para a diminuição de um extremismo rejeitado por todas as fés.

Terremoto

Obama e o presidente da Turquia, Abdullah Gul, manifestaram condolências pelas vítimas do terremoto de hoje na Itália. A declaração dos dois chefes de Estado foi feita durante entrevista coletiva conjunta concedida hoje em Ancara. Gul disse que a Turquia, país onde terremotos são frequentes, compartilha a dor do povo italiano.

Obama manifestou a esperança de que as autoridades locais e as equipes engajadas nas operações de resgate sejam capazes de minimizar os danos. A região central da Itália foi atingida na madrugada de hoje por um terremoto de 6,3 graus na escala Richter. Pelo menos 50 pessoas morreram e milhares ficaram desabrigadas.

Tudo o que sabemos sobre:
EuropaObamaIslã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.