Obama nega ter freqüentado escola islâmica na infância

O pré-candidato à Presidência dos Estados Unidos pelo Partido Democrata Barack Obama rebateu as denúncias de que, quando era criança, freqüentava uma escola islâmica radical na Indonésia."Essas afirmações são difamatórias", afirmou o candidato nesta quarta-feira ao programa Today da rede de televisão NBC. Ele acrescentou que tinha ordenado a seu diretor de comunicação, Robert Gibbs, que se reunisse com os jornalistas para esclarecer a situação.Obama, que nasceu no Havaí, mudou-se com sua mãe e seu padrasto para a Indonésia quando tinha 6 anos. Ele estudou em escolas indonésias até os 10 anos, quando voltou para o Havaí.A denúncia de que ele tinha sido educado numa escola muçulmana radical foi publicada pelo site da revista conservadora Insight, depois de Obama anunciar, no fim do ano passado, sua intenção de chegar à Casa Branca.A notícia foi divulgada depois por grupos conservadores e pelo canal de televisão Fox News."Acho que reconhecerão que o fato de eu ter sido educado dos 7 aos 8 anos de idade numa escola pública da Indonésia não vai pôr em perigo o povo dos Estados Unidos", afirmou.Segundo seus assessores, Obama se defenderá de qualquer acusação para não sofrer os problemas do senador John Kerry, que perdeu a eleição para George W. Bush em 2004. Durante a campanha, um grupo conservador acusou o democrata de não ter merecido as condecorações por valor no combate que tinha recebido durante a Guerra do Viena."Não vamos aceitar acusações flagrantemente falsas", disse Gibbs.Kerry anunciou que abandonou seus planos de disputar a Presidência dos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.