Kevin Lamarque/Reuters
Kevin Lamarque/Reuters

Obama nunca ordenou espionagem de cidadãos americanos, diz porta-voz

Em comunicado, representante do ex-presidente americano negou acusações feitas por Donald Trump e garantiu que ninguém da gestão anterior mandou grampear telefones do magnata

O Estado de S. Paulo

04 de março de 2017 | 16h45

WASHINGTON - O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama jamais ordenou que se espionasse os cidadãos americanos, afirmou um porta-voz neste sábado, 4, depois que o atual presidente americano, Donald Trump, acusou seu antecessor de grampear seus telefones durante a campanha eleitoral do ano passado.

"Nem o presidente Obama nem nenhum funcionário da Casa Branca ordenaram espionar qualquer cidadão americano", afirmou o porta-voz de Obama, Kevin Lewis, em um comunicado.

Trump acusou mais cedo seu antecessor de usar escutas telefônicas durante a campanha eleitoral sem fornecer, no entanto, provas dessa acusação. "Terrível! Acabo de saber que Obama fez escutas telefônicas na Trump Tower um pouco antes da vitória", escreveu o magnata no Twitter. "Isso é McCartismo", acrescentou, em referência à 'caça às bruxas' do senador ultradireitista americano Joseph McCarthy em patrulha anticomunista durante os anos 50.

"Eu apostaria que um bom advogado poderia levar adiante um caso pelo fato de que o Presidente Obama grampeou meus telefones em outubro, antes da eleição!", acusou Trump no Twitter. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.