The New York Times
The New York Times

Obama oferece apoio à Alemanha nas investigações do ataque em Berlim

Presidente americano pediu que a chanceler Angela Merkel transfira seus pêsames às famílias das vítimas; Putin afirmou que crime ‘estremece por sua crueldade e cinismo’

O Estado de S.Paulo

20 Dezembro 2016 | 11h24

BERLIM - O presidente americano, Barack Obama, conversou nesta terça-feira, 20, por telefone com a chanceler alemã, Angela Merkel, e ofereceu todo o apoio de seu país para o esclarecimento do ataque ocorrido em Berlim, no qual morreram 12 pessoas.

Em comunicado, o governo alemão informou que Obama transferiu a Merkel suas condolências pelo ataque contra uma feira natalina do centro da capital, que foi invadida por um caminhão que atropelou os presentes.

Obama pediu à chanceler que comunicasse seus pêsames aos parentes das vítimas e disse acreditar em uma pronta recuperação dos cerca de 50 feridos transferidos aos hospitais.

Rússia. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, também apresentou suas condolências às autoridades da Alemanha pelas vítimas do ataque. "Este crime perpetrado contra pessoas pacíficas estremece por sua crueldade e cinismo", afirmou ele na mensagem enviada ao presidente alemão, Joachim Gauck, e a Merkel.

Putin, segundo a nota divulgada pela presidência russa, pediu para transmitir as palavras de condolência e apoio aos parentes da vítimas, e desejos de pronta melhora às pessoas que ficaram feridas. / REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.