Susan Walsh/Arquivo/AP
Susan Walsh/Arquivo/AP

Obama ordena reforço de segurança após morte de embaixador

Presidente condenou o ataque ao consulado norte-americano em Benghazi; outros três funcionáios morreram

estadão.com.br,

12 de setembro de 2012 | 09h09

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Barack Obama, condenou os ataques que mataram o embaixador norte-americano para a Líbia, J. Christopher Stevens, e outros três funcionários. Em um pronunciamento, Obama ordenou o reforço de "todos os recursos necessários para aumentar a segurança do nosso pessoal na Líbia, e dos nossos diplomatas ao redor do mundo."

Veja também:

link Embaixador dos EUA morre em ataque ao consulado na Líbia

link Ocidente e árabes armaram os grupos que atacaram a embaixada

video VÍDEO: Consulado americano fica em chamas após ataque que matou embaixador

O ataque ocorreu na noite de terça-feira no consulado dos EUA em Benghazi. Homens armados entraram em confronto com forças de segurança da Líbia durante protesto contra um filme norte-americano considerado blasfemo por alguns muçulmanos. O embaixador foi morto quando, junto a um grupo de funcionários da embaixada, foi ao consulado para tentar retirar funcionários do local. Naquele momento, o edifício foi atacado por uma multidão armada e granadas lançadas por foguetes.

"Eu condeno veementemente o ultrajante ataque em nosso consulado em Benghazi", afirmo Obama. "Os quatro americanos (que morreram) eram exemplos do compromisso da América com a liberdade, a justiça e a parceria com países e povos de todo o globo", acrescentou o presidente norte-americano.

Com AP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.