Obama: partidos chegaram a um acordo sobre dívida

O presidente Barack Obama disse neste domingo que os líderes de ambos os partidos - republicano e democrata - chegaram a um acordo para elevar o teto da dívida dos EUA e reduzir o déficit federal. Separadamente, o presidente da Câmara dos Representantes, o deputado John Boehner, confirmou que os republicanos haviam chegado a um acordo com o presidente para elevar o teto da dívida pública, como informou um membro do legislativo por meio de teleconferência. Um pouco mais cedo, os assessores do Congresso afirmaram que o acordo elevaria o teto da dívida em US$ 2,4 trilhões até o final de 2012; em três estágios, sendo que inicialmente se estabeleceria o valor de aproximadamente US$ 1 bilhão em cortes de gastos durante os próximos dez anos.

Agência Estado

31 de julho de 2011 | 23h26

Um comitê especial de parlamentares ficaria encarregado de efetuar cortes para reduzir o déficit em mais US$ 1,5 trilhão por meio de uma reforma tributária, e também através de alterações nos programas de segurança do governo, da ordem de US$ 350 bilhões em dez anos. Segundo o presidente, é preciso que o plano seja finalizado e aprovado na Câmara dos Representantes e no Senado. "Nós não terminamos ainda, é preciso que os parlamentares façam a coisa certa e apoiem a decisão com seu voto", advertiu Obama. Ele acrescentou que o acordo não inclui tudo o que ele pleiteava nas negociações. A Câmara dos Representantes e o Senado pretendem se encontrar nesta segunda-feira para discutir sobre o acordo que busca evitar que os EUA deem o calote. O anúncio do acordo foi bem aceito na abertura dos mercados asiáticos nesta segunda-feira, no horário local.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamadívidaacordopartidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.