Obama passa por vexame em primárias democratas

Apesar da certeza de que será o candidato do Partido Democrata nas eleições de novembro, o presidente Barack Obama enfrenta dificuldades nas primárias do partido em alguns Estados americanos. Quatro em cada dez eleitores não votaram nele nas prévias de Arkansas, Virgínia Ocidental e Kentucky.

GUSTAVO CHACRA, CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

24 Maio 2012 | 03h08

Mesmo competindo sem adversários, Obama teve menos de 60% dos votos entre os democratas em Kentucky. O restante preferiu votar em branco, em um duro golpe para o presidente. No Arkansas, Estado do ex-presidente democrata Bill Clinton, o desconhecido advogado John Wolfe obteve 42% dos votos. O cenário foi ainda mais delicado na Virgínia Ocidental, onde Keith Judd, presidiário do Texas, obteve 41% da votação.

Esses Estados possuem uma composição demográfica distinta de outros onde Obama é mais popular. A população negra e de outras minorias é pequena. O eleitorado democrata costuma ser mais conservador em questões sociais, opondo-se, por exemplo, ao casamento entre homossexuais. Eles também têm sido mais afetados pela taxa de desemprego.

Derrotas. Nas primárias de 2008, Obama perdeu para Hillary Clinton, atual secretária de Estado, nos três Estados. Meses depois, nas eleições presidenciais, Obama também foi derrotado em todos eles. Segundo pesquisas, os republicanos vencerão em Kentucky, Arkansas e Virgínia Ocidental, com Mitt Romney tendo uma ampla margem.

Alguns analistas afirmavam que o perfil do eleitor democrata nesses Estados seria racista. Chris Cilizza, do Washington Post, discorda e afirma que não há números para sustentar essa afirmação.

Um dos temores da campanha de Obama é que a impopularidade do presidente entre os democratas nesses Estados se reflita na Carolina do Norte, onde ele venceu nas eleições de 2008.

O presidente também enfrenta dificuldades pelas constantes gafes de seu vice, Joe Biden. Pesquisas indicam que a popularidade dele está em queda e alguns democratas pressionam por mudanças na chapa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.