Guido Bergmann/Reuters
Guido Bergmann/Reuters

Obama pede à Alemanha o 'benefício da dúvida' sobre caso de espionagem

Presidente dos EUA se referia aos programas ultrassecretos conduzidos pela agência de inteligência americana, revelados pelo ex-agente Edward Snowden em 2013

O Estado de S. Paulo

09 de fevereiro de 2015 | 17h54

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu nesta segunda-feira, 9, aos alemães que deem o "benefício da dúvida" à Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês), dado o histórico de promoção das liberdades civis que os Estados Unidos têm.

Obama se referia aos programas ultrassecretos de espionagem eletrônica conduzidos pela agência de inteligência americana, revelados pelo ex-agente americano Edward Snowden em 2013. O programa chegou a espionar, entre outros alvos, a correspondência da chanceler alemã, Angela Merkel, e da presidente do Brasil, Dilma Rousseff.

O presidente dos EUA afirmou que trabalha para criar mais transparência aos processos. Entretanto, continua Obama, algumas medidas são necessárias caso os Estados Unidos queira evitar ataques como o do começo de janeiro, em Paris.

Discursando após um encontro de chefes de Estado com a Merkel, Obama pediu aos alemães que reconheçam que o país tem uma tradição de luta por direitos civis e é um aliado próximo da Alemanha há muito tempo. / ASSOCIATED PRESS

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamaMerkelEspionagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.