Obama pede a Israel que evite a morte de civis em Gaza

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu nesta sexta-feira aos líderes de Israel que minimizem o número de mortes de civis palestinos durante a ofensiva militar por terra na Faixa de Gaza. Obama disse, no entanto, que os EUA reconhecem o direito de Israel de se defender dos ataques do Hamas.

Agência Estado

18 de julho de 2014 | 14h05

"Nenhuma nação deve aceitar que foguetes sejam disparados contra suas fronteiras", disse o presidente a repórteres durante conferência de imprensa na Casa Branca. Obama garantiu que conversou por telefone com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, nesta sexta-feira e avisou que o secretário de Estado John Kerry está pronto para viajar à região.

"Eu também deixei claro que os Estados Unidos e nossos aliados estão profundamente preocupados com o risco de um aumento de mortes de inocentes", declarou. "Por isso indicamos que, apesar de defendermos os esforços militares israelenses para se proteger dos foguetes, no nosso entendimento, a operação por terra deve ser planejada para combater os túneis." Passagens subterrâneas construídas por militantes islâmicos foram encontradas por Israel e serviram de justificativa para a ofensiva por terra anunciada ontem.

A ofensiva segue uma campanha militar de dez dias que atingiu mais de 2 mil alvos na Faixa de Gaza. Israel intensificou seus ataques após o Hamas negar o cessar-fogo proposto pelo Egito no começo da semana. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EuaObamaIsraelpalestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.