Obama pede a rivais que poupem sua mulher de ataques

Senador critica vídeo divulgado pelo Partido Republicano em que Michelle diz frase 'antipatriótica'

REUTERS

19 de maio de 2008 | 11h26

O pré-candidato democrata à Casa Branca Barack Obama pediu nesta segunda-feira, 19, que seus rivais republicanos parem de atacar sua mulher, Michelle. "Essa gente deveria poupar minha mulher", disse Obama à rede ABC, referindo-se a um vídeo de quatro minutos divulgado na semana passada no site YouTube pelo Partido Republicano do Tennessee, com críticas a uma frase polêmica da advogada.   Veja também: Em campanha, Obama liga McCain à política impopular de Bush Huckabee quer ser vice na chapa de McCain McCain tenta distância de Bush sem renegá-lo  Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA   Os republicanos tentam manter viva a polêmica ocorrida quando Michelle Obama declarou, a propósito do marido: "Pela primeira vez na minha vida adulta estou orgulhosa do meu país". Para os rivais, a frase foi antipatriótica e sugere que até a atual campanha ela nunca havia se orgulhado dos EUA. Na entrevista à ABC, Obama, que é senador e lidera a disputa democrata, disse que o vídeo era "de baixo nível" e que "a maioria do povo americano vai achar isso também". No vídeo colocado no YouTube, a mesma frase de Michelle Obama aparece várias vezes, entremeada por declarações de cidadãos comuns do Tennessee a respeito do seu patriotismo. "Os responsáveis pelo Partido Republicano do Tennessee precisam pensar bem no tipo de campanha que pretendem realizar", disse Obama.   Michelle Obama também participou da entrevista na ABC e disse acreditar que os eleitores estejam mais preocupados com outros assuntos. "Confiamos que os eleitores norte-americanos estejam preparados para conversar sobre questões, e não para falar de coisas que não têm nada a ver com melhorar a vida das pessoas", disse ela. Com ampla maioria em termos de votos e delegados para a convenção nacional de agosto, Obama ainda enfrenta a senadora Hillary Clinton em mais cinco disputas internas, sendo duas na terça-feira (Oregon e Kentucky).

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.