NICHOLAS KAMM/AFP
NICHOLAS KAMM/AFP

Obama pede apoio a líderes muçulmanos em luta contra o EI

Nunca devemos aceitar a falsa premissa do EI de que estamos em guerra contra o Islã, diz presidente em discurso na Casa Branca

O Estado de S. Paulo

18 de fevereiro de 2015 | 19h48

 

WASHINGTON -  O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu nesta quarta-feira, 18 o apoio de lideres muçulmanos do mundo todo para combater o terrorismo islâmico. 

Em discurso na Casa Branca, ao apresentar uma nova iniciativa contra o radicalismo, Obama disse que os Estados Unidos não estão em guerra contra o Islã e grupos como o Estado Islâmico não representam a religião. 

"Líderes muçulmanos precisam fazer mais para se opor à ideia de que o Ocidente quer suprimir o Islã. Eu respeito clérigos islâmicos e estudiosos contrários a essa interpretação equivocada do islamismo praticada pelo EI", disse Obama. " Nunca devemos aceitar a falsa premissa do EI de que estamos em guerra contra o Islã. Isso é mentira. Não há líderes religiosos no EI. Eles são terroristas."

Obama acusou o EI e a Al-Qaeda de direcionar sua propaganda a converter jovens muçulmanos descontentes com sua vida. " As pessoas são responsáveis pela violência e o terrorismo, não Deus", acrescentou. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaEUAEI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.